sexta-feira, 4 de abril de 2014

Retrospectiva do meu processo (parte IV): Alimentação

Boa tarde galerinha!

Essa é a última parte da série Retrospectiva, mas muitas outras séries virão.

Hoje vou falar sobre alimentação, como era o esquema dentro do programa, o que eu aprendi e como foi a adaptação quando saí do programa.

Vou voltar lá pro primeiro dia - Antes de efetivamente começar a dieta: O dia em que soubemos que estávamos dentro do programa. Nesse dia eu vi o quanto eu não dava valor pro meu corpo. Eu consegui engordar 3kg (sim, em UM único dia), só por conta da ideia de que depois eu teria que me "privar" de comer, então, deveria aproveitar tudo o que tinha naquela churrascaria. Hoje me arrependo até dessa despedida, pois demoro de duas a três semanas pra emagrecer 3kg (quase um mês para compensar um dia).

O grande problema da maneira que nos alimentamos (sem estar numa dieta adequada) é a nossa cabeça: O quanto ela faz com que nosso corpo responda aos benefícios momentâneos do prazer de se alimentar. Sabe aquela frase que costumamos falar: 'cabeça de gordo'? Simboliza a nossa falta de consciência corporal e saudável. Pode parecer pesado dizer dessa maneira, mas quando não nos preocupamos com o que comemos, viramos uma "lata de lixo", ou seja, não queremos saber se faz bem ou mal, só se é bom ou ruim, se vai nos dar prazer ou não.

Nossas refeições dentro do programa eram servidas já em porções exatas, não tínhamos a opção de pegar um alimento ou outro a qualquer hora: A equipe que nos alimentava nos horários certinhos.

Relembre nossa primeira refeição no Além do Peso

Vários pratos eram recusados por alguns participantes que não gostavam do que era servido, daí tirei a primeira lição do Além do Peso:

Criar consciência de que você não vive pra comer, você come pra viver! Sei que eu já disse isso antes, mas vou explicar melhor a frase: Não devemos buscar prazer nos alimentos, principalmente no começo de uma dieta, devemos apenas saber se ele fará bem (e o quão bem) para nosso organismo, se irá auxiliar e em que irá auxiliar nesse novo processo. Hoje não vejo mais uma receita pelo sabor que deve ter, vejo primeiro os benefícios que ela pode trazer para meu corpo, assim evito problemas com desnutrição ou carência de determinados nutrientes, além de evitar também contratempos com a balança.



Nossa dieta era hipocalórica (700kcal por dia para as mulheres), hoje minha dieta é de 900kcal a 1000kcal por dia. Conforme vou emagrecendo mais, posso aumentar gradativamente a quantidade de calorias que devo ingerir.

A dieta era basicamente assim:

Café da manhã - Proteína (geralmente omelete)

Lanche da manhã - Carboidrato (fruta)

Almoço - Proteína, fibra e carboidrato (sempre uma salada verde + uma carne + uma massa integral, ou legumes e verduras, ou algum grão rico em carboidratos)

Lanche da tarde 1 - Carboidrato (fruta)

Lanche da tarde 2 - Proteína (iogurte)

Jantar - Proteína, fibra e carboidrato (sempre uma salada verde + uma carne + uma massa integral, ou legumes e verduras, ou algum grão rico em carboidratos)

Ceia - Oleaginosas ou proteína (Mix de Nuts, frutas secas ou um queijo light)

Nos finais de semanas, recebíamos as marmitinhas de todas as refeições, porém nós que nos servíamos e nos controlávamos (claro, não tínhamos "babás" em casa). Ali era nosso voto de confiança: Poderíamos sim comer fora, mas e o medo da balança depois? Se tornou um sistema natural.

Quando fui eliminada, meu maior medo era em relação a alimentação. Nossas refeições dentro do programa eram super elaboradas, cheias de coisinhas caras que eu não tinha condições de manter: Aí tive que começar a estudar os alimentos mais em conta para suprir toda a pompa que tinha lá dentro: Então foi aí que elaborei aquela lista de compras que postei antes, onde é justa financeiramente e saudavelmente falando.

Hoje, como vocês sabem, estou me dedicando nos estudos de alimentos, inclusive vou cursar nutrição que se tornou uma grande paixão pra mim, e foi assim que consegui emagrecer 40kg: 7kg dentro do programa e 33kg sozinha.


A alimentação saudável vira uma grande felicidade. Eu me livrei do vício de pensar com o impulso da vontade de comer e me dediquei a conhecer minhas reais necessidades.

Algumas receitas bem nutritivas e pouco calóricas que descobri nesse processo todo, vou postar sempre para vocês. Continuem acompanhando!

 

2 comentários:

Anne Araujo disse...

Carolzita!

Você faz dois lanches da tarde?! Como funciona isso, são com intervalo de três horas também? São 7 refeições diárias?!

beijo!!!

kellen leonor disse...

eu faço 2 lanches tbm,fica assim:9 cafe da manhã,12 almoço,15 lanche 1,18 lanche 2,21 jantar,não faço ceia e nem lanche no meio da manhã.