quinta-feira, 3 de abril de 2014

Retrospectiva do meu processo (parte III): Exercícios

Continuando a série Retrospectiva do meu processo, hoje vou falar sobre os exercícios. Sem dúvida alguma, a parte mais difícil de todas, pelo menos pra mim.

Antes de eu entrar no programa, eu já praticava um esporte: natação. Adorava, praticava duas vezes por semana e na minha cabeça, aquilo já era o suficiente para eu não ser considerada uma pessoa sedentária. De fato, é verdade! Mas eu precisava muito mais que só sair do sedentarismo, eu precisava avançar numa carga bem maior de exercícios pra sair da obesidade que já era considerada mórbida (ou severa).

Desde o começo, eu já sabia que dentro do programa eu não teria escolha: ou fazia, ou fazia. Era uma grande oportunidade com um grande profissional. Me abri então pra possibilidade de aprender a gostar de me exercitar.

Sempre odiei me sentir ofegante, cansada, com o corpo quente, aquelas sensações que as atividades físicas liberam. Meu ponto de partida foi pensar na parte funcional e orgânica da coisa: os exercícios físicos liberam substâncias químicas que ajudam a reduzir o estresse e aliviar a ansiedade. Isso eu sabia por cima, mas foi ressaltado pelo sargento Bró e pelo nosso nutrólogo Dr. Volpi logo no primeiro dia de programa. Comecei a pesquisar sobre isso e todas as buscas resultaram na mesma resposta: Se exercitar é felicidade comprovada!

Tem gente que cura depressão apenas com atividades físicas, sabiam? É uma opção de terapia saudável para os males do corpo e da mente.

O grande problema do exercício é começar. Depois que se começa, o difícil é querer parar. As sensações positivas das atividades físicas são sentidas de imediato: a disposição vem, o humor melhora, fluem bons pensamentos e metas a serem superadas, aumenta-se a resistência etc.

Nossa primeira atividade física no programa foi o Kickboxing, praticado no Parque do Povo em São Paulo. 



Relembre o primeiro dia de atividades

Foi muito legal, e o bacana dessa atividade é que ela pode ser praticada por qualquer pessoa, em qualquer lugar! O objetivo da aula foi aprendermos os golpes da luta, mas principalmente utilizá-los num circuito direto para intensificar a queima calórica. Pra quem tiver interesse, encontrei esse vídeo bem bacana que demonstra os golpes, mas vocês podem praticar com o vento (socos e chutes no ar), sem equipamentos.

Vídeo aula de Kickboxing para iniciantes

No geral, fazíamos uma atividade física pesada por dia - ou de manhã, ou a noite. Tínhamos uma variação enorme de exercícios, uns que eu nunca tinha visto, como por exemplo o TRX (treinamento praticado pelos Navy SEALS - Elite do exército americano, onde a atividade é feita com o auxilio de uma espécie de tiras de tecido fixadas numa barra), outros eu sempre tive curiosidade, como o Boxe, e outras que eu já tinha praticado em situações do dia a dia, como lavar carros.

Foram tantas atividades, que eu vou destacar algumas para contar pra vocês:

As que eu mais gostei: A aula de tênis (que apesar de eu comprovar que não tenho coordenação motora pra isso, adorei o treino e o foco exigido na atividade), e a aula de dança que praticamos um dia antes da minha eliminação. Ambas as atividades eu me diverti muito e senti fortemente que meu corpo responde muito bem aos estímulos exigidos. Foram atividades que eu não tinha vontade de parar, uma delícia!

A que eu menos gostei: Aula de Pilates. Exige mais força nos músculos, resistência. Aí que eu descobri que prefiro atividades aeróbicas, que exigem mais do coração, da frequência cardíaca. Essa atividade foi feita depois que eu saí, mas estava de volta no programa por alguns dias com a chance de voltar para a disputa.

Todas as atividades foram funcionais: me fizeram acreditar mais no meu potencial e perceber que não importa o que você faça, com intensidade tudo é válido!

Quando saí do programa minha rotina de exercícios diminuiu muito, mas eu tinha a partir de então a liberdade de fazer aquilo em que eu me sentia melhor: comecei uma série de corridas e caminhadas, com o auxílio do meu namorado (que é personal trainer) desenvolvi um circuito de exercícios matinais pra praticar em casa, além de fazer MUITA FAXINA! Sim, donas de casa! Fazer faxina queima calorias! Como eu disse, o que vai determinar o quanto a atividade é eficaz é a intensidade que vocês colocam nela. 

Não existem desculpas: Não tem dinheiro? Façam exercícios em casa. Não tem tempo? Acordem mais cedo. Hoje temos o santo Youtube que nos fornece uma série de exercícios que vocês podem praticar em qualquer lugar (como a aula de zumba que postei ontem). Se vocês quiserem, vocês vão conseguir.

A próxima (e ultima) parte dessa série, vou contar sobre a alimentação: O que comíamos no programa, como funcionava a distribuição dos alimentos, como me adaptei com a comida depois da minha eliminação etc.

Aguardem!

Um comentário:

Ana Laura Guerreiro disse...

Ótimo, ótimo, ótimo!!!!