terça-feira, 1 de abril de 2014

Retrospectiva do meu processo (parte I): Da inscrição até a seleção para o Além do Peso

Voltar no tempo e ver como eu comecei tudo é assustador...

É engraçado, sou outra pessoa, em tudo! Minha vida inteira agora foi moldada pelas minhas conquistas: No corpo e na saúde, na escolha profissional, na autoestima.... Tudo! E pra muito melhor.

Vou começar agora uma série para dividir com vocês:

A Retrospectiva do meu processo: Desde a inscrição para o Além do Peso até hoje.

Vou dividir em posts diferentes pra conseguir lembrar de cada detalhe e, com muito carinho, passarei tudo o que vivi e aprendi para vocês.

Clique aqui e relembre meu vídeo de apresentação antes do início do processo.

Pelo vídeo acima já é possível notar inúmeras diferenças físicas e emocionais, mas garanto: Eu tinha medo.

Durante toda a minha vida minha mãe pegou na minha mão e me levou para diversos especialistas para que eu pudesse emagrecer. Sabe por que não deu certo? Porque ela me levava. Eu topava, claro. Nunca relutei, sempre ia, ficava até animada para começar o processo todo, mas pouco tempo depois do início do projeto, eu abandonava. Nunca partiu de mim, mesmo eu sabendo que precisava mudar. A culpa por estar daquela maneira era toda minha, e eu sempre aceitei isso, e me acomodei com essa verdade que pra mim parecia impossível de ser alterada.

Sempre me disseram que tenho um rosto lindo, que sou estilosa, que sou inteligente, e sempre esses elogios vinham acompanhado de um ''Só precisa emagrecer''.

Quando minha irmã, que era gordinha, se casou e foi morar em Porto Alegre (e emagreceu muito), ouvi várias pessoas sarcasticamente me falarem: ''Por que você não vai morar lá?''. Outros casos como trocarem meu nome pelo nome de outras mulheres que não tinham nada em comum comigo além da gordura, e pedirem 'desculpas, mas trocavam os nomes pois somos muito parecidas, cheinhas, então confunde'...

Oi? Eu tinha perdido até minha identidade para a minha obesidade então? Quer dizer que todo obeso é gêmeo? 

O que aconteceu foi o inevitável: Eu estava esgotada. Havia perdido a vontade de me arrumar, de ler, de me vestir bem, de me cuidar, de estudar, de me relacionar. Eu era dependente daquela forma que eu criei.

Um dia em que eu não fui trabalhar, estava em casa com meu namorado e, assistindo ao Programa da Tarde, vi que tinham três mulheres ao vivo que emagreceram juntas quase 200kg - sem cirurgia. Fiquei super animada com a matéria, afinal eu não acreditava que sem cirurgia um obeso poderia perder tanto peso. Logo depois da entrevista com as moças, indicaram a inscrição para o programa Além do Peso. Na mesma hora fui pesquisar e descobri do que se tratava. Eu não tinha nada a perder, fiz minha inscrição.

Duas semanas depois começaram as entrevistas por e-mail, telefone, na RECORD!

                                                          Foto do teste de VT realizado na Record.

Opa, aí a coisa tava ficando séria, e o medo começou a surgir. Medo de ser selecionada, medo de não fazer jus a oportunidade... Medo. Foi desenrolando que começaram os testes de VT, as gravações testes externas, os exames médicos, e, quando me dei conta, eu estava na última etapa da seleção:

Um sábado a tarde, churrascaria Vento Aragano. Logo pensei: 'Pronto, é um teste pros gordos. Quem conseguir ficar sem comer, está dentro'. Que nada. Pra minha sorte eu e mais sete pessoas fomos levados até lá para que a linda da Ana Hickman entrasse e anunciasse que de 90.000 inscritos, fomos selecionados para participar do Além do Peso. Daí foi só festa, me despedi da vida mansa engordando 3kg nessa churrascaria (é sério), para na segunda começar a luta. Fui pra casa contar para minha mãe e meu namorado que comemoraram mais que eu, pois eu estava com aquele medo de novo. Medo de, mais uma vez na vida, falhar.

 Daí veio o famoso START! Sabe como funcionou? Logo de cara eu virei o "Bobo da corte" dos profissionais. Se o Bró jogasse um como com água no chão e dissesse: LIMPE! Eu iria lá e limparia. Se a Dra. Camila dissesse: COMA FORMIGAS, eu iria lá e comeria. Eu me entreguei completamente a vontade e profissionalismo daquela equipe que tinha um plano brilhante pro meu futuro - eu sabia disso. Era a hora de esquecer os "Não vou fazer", "Tá chovendo, não vou correr", "Vou comer mais um pouquinho". Eu simplesmente esqueci as queixas, fui lá e fiz.

Próximo item da série: Mais sobre o Start e o Fator Psicológico. Aguardem!

Um comentário:

Ana Laura Guerreiro disse...

Sabe onde eu estou??? No aguarde....
Acredito que isso vai servir pra muitas pessoas como eu, que nao conseguem dar esse start sem uma ajuda, sem realmente ter um começo, "de onde conseguir forças", "o q vou comer, o que nao posso", que atividades fisicas fazer com "tamanho" peso sem me machucar!!!
pois é... estou noaguardo... ansiosa, quase como se estivesse no "ALEM DO PESO" KKKKK BJOS