segunda-feira, 31 de março de 2014

Comportamento social: Como eu era tratada x como sou tratada

De modo geral, poucas pessoas ainda me reconhecem na rua. Logo que saí do programa sim, na maioria dos lugares que eu ia, era reconhecida. Gosto mais do anonimato (só prefiro ser reconhecida por pessoas que dizem que eu as ajudo muito com meu trabalho, isso sim eu amo), assim consigo perceber melhor o meio em que vivo e o comportamento das pessoas em minha volta.

Sou muito observadora, uma pessoa que trabalha com comunicação deve ter olhos, ouvidos e mentes abertos para entender o mundo de diversas maneiras, e esse meu excesso de observação me fez enxergar algumas coisas que eu tinha anulado da minha realidade. Explico:

Sexta passada fui comprar um traje de banho no shopping pois vou viajar daqui duas semanas e obviamente ainda não tinha pensado nesse tipo de compra (menos usuais, só tinha abusado das compras em roupas do dia-a-dia). Quando entrei na loja, perguntei por um biquíni de calcinha mais alta (estilo pin up) que talvez pudesse ficar legal com a mudança do meu corpo. A atendente prontamente separou um modelo lindo, tamanho M para a minha surpresa. Fui experimentar, mas não gostei do modelo no meu corpo. Não que a peça fosse feia, mas por algum preconceito meu ainda (de quem nunca teve coragem de usar um biquíni), achei desconfortável e optei por um maiô. Quando saí com a peça na mão, a atendente se surpreendeu dizendo:

- Mas você tem o corpo tão bonito, essa peça valorizaria muito suas curvas, além de ser bem discreta!

Aí, contei para ela que eu sou uma ex gordinha em tratamento ainda, contei toda a minha trajetória, e ela ficou muito feliz em me auxiliar na escolha de uma outra peça que valorizasse meu corpo e que me permitisse ir desapegando dos traumas do passado. Escolhi um maiô tomara que caia preto, franzido nas laterais onde a parte franzida se ajusta perfeitamente na região da cintura. Com certeza é uma peça que eu não escolheria anteriormente devido a N motivos, por exemplo a cintura sem uma forma bonita.

Daí passou um filme na minha cabeça:

Alguns anos atrás fui passar o réveillon em Trindade - RJ. Eu estava bem gordinha. Antes de ir, fui numa loja de trajes de banho escolher (ou tentar escolher) um maiô (biquíni nem pensar). Nunca vou esquecer a cara da vendedora ao me ver entrando, ela queria se esconder em algum lugar, menos me atender. Quando eu informei minha necessidade, a primeira coisa que a criatura me disse foi:

- Do seu tamanho, só tenho esse modelo aqui, se servir.

Era um maiô de hidroginástica, com perninhas. Fiquei tentando me imaginar na praia com aquele modelo, e a única imagem que vinha na minha cabeça era a do Kiko (do Chaves) em Acapulco.


Me bateu uma tristeza tão grande, pois não era apenas pelo modelo, mas pela maneira que a criatura me derrubou, me fazendo pensar que eu não teria escolha de manter a minha vaidade na praia. Hoje tenho vontade de voltar naquela loja (só duvido que uma pessoa que te atende dessa maneira tenha permanecido lá depois de tanto tempo) e sentir qual vai ser o tratamento que vou receber.

Voltando para a sexta passada, depois de sair da loja extremamente feliz pela boa compra e excelente atendimento que tive (faço questão de divulgar, a loja é a Cia Marítima do shopping Bourbon em São Paulo. Peças lindas e atendimento maravilhoso), passei em uma outra loja com o intuito de fazer um teste, loja essa famosa no Brasil inteiro, cujo atendente é sempre o mesmo (na do Bourbon sim), na qual fui hostilizada em setembro do ano passado. Só pra explicar: em setembro entrei nessa loja e fui direto nos vestidos longos. Todos os atendentes saíram de perto e o rapaz em questão foi direto ao caixa bater papo com a pessoa que estava atrás do balcão. A loja estava vazia (sem outros clientes). Quando fui até o caixa solicitar atendimento, ele disse baixinho, quase sussurrando para a atendente do lado:

- Vai lá você, não vou perder minha comissão com peças que podem até rasgar nessa menina.

Logo que ouvi o comentário, olhei para ele e disse: Não precisa, nessa loja, com esse atendimento eu não volto nunca mais. Soltei um baita dum palavrão pra cima do canalha, claro, e saí. Até chorei com a situação, me senti um lixo.

Retomando, entrei na loja na sexta, e adivinha quem veio me atender, todo sorridente? O rapaz.
O diálogo foi esse:

- Boa noite, moça! Precisa de ajuda?
- Bom, preciso só esclarecer uma coisinha. Você não deve estar lembrado de mim, mas eu nunca vou me esquecer de você. A última vez que entrei nessa loja, você me tratou como um lixo, pois eu pesava 40kg a mais do que você está vendo agora. Bem, eu emagreci, graças a Deus hoje estou fazendo compras pois trabalho e tenho dinheiro pra isso, e posso escolher qualquer loja desse shopping para me vestir. Fiz questão de voltar pra te dizer isso, e dizer que eu mudei pra melhor, mas a sua arrogância e falta de caráter serão eternos. Boas vendas pra você.

E saí. Alguma dúvida de como o ego da gente é influenciado por pessoas sem escrúpulos quando estamos fragilizados? Hoje eu vejo que não vale a pena se importar com esse tipo de pessoa, mas sei o quanto dói ser tratado dessa maneira. Para isso, só digo uma coisa:

DÊ O SEU MELHOR, FAÇA O MELHOR POR VOCÊ E PONHA AS PESSOAS EM SEUS LUGARES! NINGUÉM TEM O DIREITO DE TE TRATAR COMO UM LIXO. O TEMPO SE ENCARREGA DE FAZER JUSTIÇA. AS PESSOAS RUINS PODEM NUNCA MUDAR, MAS VOCÊ TEM A CHANCE DE FAZER CADA VEZ MAIS POR VOCÊ. FAÇA!

7 comentários:

Patricia Santana disse...

parabéns, vc ficou linda, acompanhei sua participação no ADP, vc fez muito bem em voltar na loja e colocar um vendedorzinho no devido lugar dele, enquanto ele implora por comissão vc vai gastar seu dinheirinho nas lojas que realmente merecem rsrsrs

♥Joycinha Santos♥ disse...

Nossa realmente é mto triste o julgamento das pessoas.. sei mto bem como é isso e vc ainda topou usar maio eu nem biquíni mto menos maio as vezes acho que nem emagrecendo terei corpo pra usar entaum nem frequento locais q tenho q usar. o pior eu amo .. :(

Adelaide Rebouças disse...

Parabéns pela disciplina!
Cada dia mais linda!!!!!!

lenise bondade disse...

Nossa que historia ,é lindo ver vc indo lá e dando a volta por cima Parabénsss Carol adoro voce..

Camila Morais disse...

Carol, quando te conheci vc já era linda e super estilosa, agora então nem se fala.
Parabéns pela sua terminação, e pessoas que nos desmotivam só merecem desprezo.
Sucesso!

Raphaela Saragiotto disse...

Amando sua trajetória! Quem dera eu conseguisse ter essa disciplina e olha que nem preciso emagrecer tanto assim!!
Fico hiper feliz a cada pesagem sua no face!

Parabéns, adoro vc.

Leandro Oliveira disse...

Já passei por isso e constrangedor mesmo ver os atendentes dando preferência a outros eu não atende pq as roupas mais legais são para magros ou definidos mais agora emagreci e consigo controlar meu peso qndo vou nessas lojas brinco de comprar e um prazer conversar com esses vendedores o que eles fizeram comigo.